Make your own free website on Tripod.com

ANTIBIÓTICOS E QUIMIOTERÁPICOS

 

             

Voltar

 

 

           Para poder falar, em separado, quais são os antibióticos e quais são os quimioterápicos, é necessário que se diga a diferenças existente entre eles. Os antibióticos são substâncias antimicrobianas de origem microbiana. Já os quimioterápicos são produzidos por síntese química em laboratório, e não por microrganismos.

           São considerados antibióticos de largos espectro aqueles que são efetivos contra muitas espécies de microrganismos diferentes. 

 

 

    Antibióticos

        Ação antimicrobiana através da inibição da síntese da parede celular

            Bacitracina

Descrição  

    A bacitracina, um polipeptídico antibiótico isolado de Bacillus subtilis, ativo por via tópica e parenteral, é composta por três componentes, denominado bacitracina A (o mais importante), B e C. A bacitracina é ativa principalmente na frente de bactérias gram-positivas para isso que freqüentemente é usada associada com a neomicina e polimixinas que, pelo contrário, eles são na frente ativos de bactérias gram-negativas. A bacitracina raramente é usada por via parenteral devido ao risco de nefrotoxicidade, depois de ter sido substituída por penicilinas resistentes à penicilinases, cefalosporinas de espectro largo ou vancomina. A bacitracina é principalmente usada topicamente para o tratamento de infecções oftálmicas ou da pele, embora ocasionalmente foi usada por via oral para o tratamento de colite pseudomembranosa produzida pelo Clostridium difficile, dado que não é absorvido por esta via.   

   

Mecanismo de ação

    Dependendo da concentração, a bacitracina é bacteriostática ou bactericida. Age, inibindo a incorporação de aminoácidos e nucleotídeos na parede celular, mas também pode já danificar as membranas formadas produzindo o lise e a morte das bactérias. A bacitracina é ativa frente à um grande número de bactérias gram-positivas como estafilococos (incluindo tocos resistentes às penicilinas), estreptococos, cocos anaeróbios, clostrídios e corinebactéria. Algumas espécies de gram-negativo, como gonococos, meningococos e fusobactéria são também sensíveis à bacitracina.   

    A atividade da bacitracina é expressa em unidades, contendo 1 mg de bacitracina não menos de 50 UI.   

   

Farmacocinética

    A bacitracina quase sempre é administrado topicamente, embora também pode se administrar por via intramuscular. A absorção oral é quase nula, igual a pela pele. Porém, na pele com lesão (queimaduras, eczema, etc), a bacitracina é absorvida com certa facilidade.

    Depois de uma injeção intramuscular, as concentrações máximas do antibiótico se obtêm em 1-2 horas com um valor de 0.2 a 2 µg/mL. A bacitracina é distribuída completamente depois de uma injeção, aparecendo na maioria dos tecidos e fluídos, inclusive nos líquidos ascíticos e pleurais, mas não atravessa a barreira hematoencefálica, a menos que as meninges estejam inflamadas. A bacitracina é excretada lentamente através da filtração glomerular, a menos que se administre por via oral, é eliminado completamente nas fezes. Entre os 10 e 40% da dose intramuscular é excretada na urina de 24 horas. Se desconhece se o resto do antibiótico é destruído e metabolizado.

   

Indicações e posologia

    Eles são considerados normalmente suscetíveis os microorganismos seguintes: Actinomyces israelii; Clostridium difficile; Corynebacterium sp.; Fusobacterium sp.; Neisseria gonorrhoeae; Neisseria meningitidis; Staphylococcus aureus (MSSA); Streptococcus sp.; Treponema pallidum; Treponema vincenti; enterococos vancomicina-resistente.

    Tratamento de infecções da pele: aplicar uma película fina 2 ou 3 vezes por dia. Não usar mais de 7 dias consecutivos.

    Tratamento de infecções oftálmicas (ungüento oftálmico): aplicar uma camada fina na conjuntiva a cada 3-4 horas durante 7 a 10 dias.   

    Tratamento de infecções respiratórias em crianças: 800-1200 UI/kg por dia para por intramuscular a cada 6 horas. Não administrar mais de 12 dias   

    Tratamento oral de colites pseudomembranosa causada por Clostridium difficile: Adultos: a dose indicada é de 20-25.000 UI a cada 6 horas durante 7 dias. Como a resposta à bacitracina é bastante pobre em comparação com os resultados obtidos com a vancomicina ou o metronidazol, a bacitracina só será usada em casos que os antibióticos prévios não podem ser administrados.   

   

Dose de máximo por via intramuscular:

   

Adultos: 100.000 unidades/dia, não mais de 12 dias sem exceder 25.000 unidades/dose

Crianças: 1200 unidades/kg/dia, não mais de 12 dias

Bebês de > 2.5 kg: 1000 unidades/kg/dia, não mais de 12 dias

Bebês de < 2.5 kg: 900 unidades/kg/dia, não mais de 12 dias

 

A bacitracina não é recomendada os pacientes com insuficiência renal devido a seu efeito nefrotóxico severo

   

Contra-indicações

    A bacitracina não deve ser usada em paciente com sensibilidade conhecida ao antibiótico. Os pacientes sensíveis à neomicina também podem ser sensíveis a bacitracina.

    A bacitracina não deve ser usada em queimaduras grandes, feridas profundas ou picadas de animais sem consultar um médico. A bacitracina deve ser usada com precaução ou não ser usada em pacientes com insuficiência renal, devido à incidência de nefrotoxicidade alta que este antibiótico produz. As crianças pequenas são muito menos suscetível que os adolescentes ou adultos para os efeitos nefrotóxicos da bacitracina.

    De qualquer maneira, se eles forem pacientes com bacitracina intramuscular, a função renal será monitorada com análise microscópica de urina antes e durante o tratamento. Durante o mesmo, se deve assegurar uma ingestão apropriada de líquidos, devendo-se manter a urina em um pH de 6, sendo administrado bicarbonato ou álcalis se for necessário reduzir a irritação. Se houver oligúria mantendo a ingestão de líquidos ou é observada uma azotemia progressiva, deverá ser descontinuado o tratamento com bacitracina imediatamente.

    A bacitracina é classificada dentro da categoria C de risco para a gravidez. Não foram realizados estudos apropriados para determinar o risco em gestantes. Nem não é conhecido se o fármaco é excretado no leite materno, e então seu uso será evitado durante a lactância.   

    A bacitracina pode causar um bloqueio neuromuscular e paralisia respiratória, portanto será evitada sua administração concomitante com bloqueadores neuromusculares e seu uso em paciente com doenças pulmonares, miastenia grave ou outra desordem neuromuscular.

    O ungüento oftálmico não deve ser introduzido na câmara anterior do olho. Durante o uso prolongado do ungüento oftámico podem ser desenvolvidas infecções secundárias, principalmente por fungos, portanto é recomendado que a duração do tratamento com bacitracina não exceda os 10 dias. Os pacientes se privarão de usar lentes durante um tratamento com bacitracina ungüento oftálmico.

   

Interações

    Pode-se produzir uma nefrotoxicidade adicional quando se administrar bacitracina com outros agentes potencialmente nefrotóxicos. Deve ser evitado por conseguinte, o uso do bacitracina juntamente com antibióticos aminoglicosídeos, anfotericina B, cisplatino, ciclosporina, foscarnet, diuréticos, pentamidina, polimixina B, colistina, tacrolimus, e vancomicina. Nem o ungüento de bacitracina será administrado em grandes áreas em pacientes tratados com outros fármacos potencialmente nefrotóxicos, desde que a bacitracina é absorvida um pouco pela pele e pode causar efeito nefrotóxicos adicionais.   

    Os anestésicos gerais e os bloqueadores neuromusculares ou esqueléticos serão usados com precaução nos pacientes tratados com bacitracina intramuscular. A bacitracina inibe a liberação pré-sináptica de acetilcolina e bloqueia a atividade pós-sináptica deste neurotransmissor, sendo capaz de atuar sinergicamente com outros fármacos neurobloqueadores. Se o durante a cirurgia a bacitracina é usada, a profundidade do bloqueio neuromuscular que pode aumentar.

   

Efeitos adversos

    A reação adversa mais importante da bacitracina é em particular sua nefrotoxicidade que pode aparecer tanto depois da administração sistêmica como tópico, se é aplicado em áreas grandes ou em pele lesionada. As crianças parecem ser menos suscetíveis a estes efeitos tóxicos. Durante um tratamento com bacitracina, será monitorada a função renal, enquanto assegurando uma ingestão apropriada de líquidos. Se aparecer qualquer sinal ou sintoma de nefrotoxicidade (proteinúria, azotemia, oligúria, etc), será descontinuado o tratamento imediatamente com bacitracina.

    Em raras ocasiões foram descritos urticária, febre, toxicidade hematológica, eosinofilia, prurido e reações anafiláticas com a bacitracina.

    Durante o tratamento sistêmico com bacitracina, foram descritos anorexia, náuseas e vômitos, diarréia, prurido anogenital e erupção cutânea. Em alguns casos, a injeção intramuscular podem ser dolorosos.

    O bloqueio neuromuscular produzido pela bacitracina pode causar miastenia e possível paralisia respiratória, especialmente se a bacitracina for associada a um antibiótico aminoglicosídeo. Em algum caso ocorreu uma depressão respiratória severa que não respondeu ao cálcio ou o neostigmina em pacientes tratados intrapleuralemente com bacitracina e neomicina.

    Como acontece com muitos antibióticos, um tratamento de duração longa com bacitracina pode fazer com que se desenvolvam superinfecções, principalmente por fungos.

    A bacitracina por via oftálmica pode causar visão borrada de duração escassa.

 

Fonte: Instituto Químico Biológico – www.iqb.es/cbasicas/farma/farma04/b001.htm

 

            Cefalosporinas - Esta substância é produzida por alguns fungos das espécies Cephalosporium sp. As cefalosporinas naturais apresentam uma atividade antibacteriana pequena, mas a união de vários grupos laterais R resultou na proliferação de enorme gama de drogas com propriedades farmacológicas variáveis e espectros de atividades antimicrobianas diferentes. As cefalosporina de primeira geração atuam em cocos Gram-positivos (exceto enterococos e estafilococos meticilina-resistentes ou MRS) e moderadamente ativas em alguns bacilos Gram-negativos (exceto Pseudomonas, Proteus, Enterobacter, Serratia e Acinetobacter). Com freqüência, os cocos anaeróbicos são sensíveis, embora Bacteroides fragilis não o seja. 

            Cefalotina (Cefalosporina de "primeira geração")

            Cicloserina

            Penicilinas

                                 Penicilina G (Benzilpenicilina)                              Ampicilina                                            Amoxicilina

                                                                                            (Alfa-aminobenzilpenicilina)                                      

            Ristocetina

            Vancomicina

 

    Ação antimicrobiana através da inibição da síntese protéica

            Cloranfenicol

Cloranfenicol

            Eritromicinas (p. ex: espiramicina, oleandomicina) - É um macrolídeo obtida a partir do Streptomyces erythreus e sua fórmula química é C37H67NO13. Este antibiótico atua em bactérias Gram-positivas como pneumococos, estreptococos e corinebactérias, e atuam também em Mycoplasma, Chlamydia trachomatis, Legionella pneumophila e Campylobacter jejuni

            Lincomicinas

            Tetraciclinas

Tetraciclina

 

   Aminoglicosídios (p. ex.: estreptomicina, gentamicina, neomicina, amicacina, canamicina, netilmicina, tobramicina)

Estreptomicina

 

    Ação antimicrobiana através da inibição da atividade da membrana celular

            Anfotericina B

            Colistina

            Imidazóis

            Nistatina

            Polimixinas

 

  Ação antimicrobiana através da inibição da síntese de ácidos nucléicos

            Novobiocina

            Pirimetamina

            Rifampicina

           

        

    Quimioterápicos        

         Sulfonamidas - Sua estrutura principal é o mais importante para descrever sua forma de ação, pois PABA ou ácido para-aminobenzóico é bem semelhante à estrutura abaixo. O PABA é utilizado como cofator enzimático essencial para as bactérias por ser precursor do ácido tetraidrofólico (THFA) que é utilizado para a síntese de aminoácidos e timina.

Anel básico das sulfonamidas

 

            Trimetoprim  

            Nitrofuranos - O composto original do qual os nitrofuranos são derivados é o furfural. O furfural pode ser preparado a partir de espigas e caules de milho, da casca da aveia e de outros subprodutos vegetais. A estrutura cíclica, que constitui a maior parte de uma molécula de furfural, é o anel furânico. Os nitrofuranos inibem a síntese de proteínas e são efetivos contra bacilos entéricos Gram-negativos, enterococos, vários protozoários patogênicos e alguns fungos. Eles são muitas vezes utilizados no tratamento de infecções do trato urinário.

            Isoniazida - Este é o principal agente quimioterápico utilizado no tratamento da tuberculose inibindo, especificamente o Mycobacterium tuberculosis, e também outras micobactérias. A isoniazida é um análogo estrutural da piridoxina ou vitamina B6 e também da nicotinamida, um componente da coenzima NAD.

            Quinolonas  

 

Voltar